DNA:

As ligaçóes fosfodiéster ligam o carbono 3’ da pentose de um nucleotídeo com o carbono 5’ da pentose do nucleotídeo adjacente. Como consequência, o eixo de um ácido nucléico é formado por pentoses e fosfatos, e as bases nitrogenadas estão ligadas às pentoses do eixo. A extremidade da molécula que contém a pentose com o carbono 5’ livre denomina-se extremidade 5', e a que possui a pentose com o carbono 3' livre denomina-se extremidade 3'.

Estas fitas de cadeias de ácidos nucléicos helicoidais possuem rotação predominante para a direita (conformação mais estável), que compõem uma dupla hélice ao redor de um mesmo eixo central. Como as duas cadeias são antiparalelas, suas ligações 3’-5-fosfodiéster seguem direções opostas. Além disso, as bases estão situadas no interior da hélice em um plano perpendicular ao eixo helicoidal. As sequências axiais das bases devem ser complementares: citosina-guanina (ligando-se por 3 pontes de hidrogênio) e adenina-timina (ligando-se por 2 pontes de hidrogênio).

A estrutura primária de todas as proteínas (ou seja, a quantidade e a sequência de seus 20 aminoácidos) deve estar codificada por um alfabeto de quatro letras (A, T, G, C). Apesar de a composiçáo das bases variar de uma espécie para outra, a quantidade de adenina é igual à quantidade de timina (A = T), e a quantidade de citosina é igual à de guanina (C = G). Consequentemente, o número total de purinas é idêntico ao de pirimidinas.

O DNA, portanto, é formado por uma molécula de açúcar (uma pentose denominada desoxirribose), bases nitrogenadas purinas (adenina/guanina) ou pirimidinas (citosina/timina) e ácido fosfórico (PO4H3). A informação genética é lida usando o código genético, que especifica a ordenação específica dos 20 aminoácidos nas proteínas. O código é lido pela cópia de fitas de DNA em outro ácido nucléico relacionado: o RNA, em um processo conhecido como transcrição. As proteínas são então sintetizadas num processo que envolve a tradução do RNA. A série de eventos relacionadas são conhecidas como o dogma central da biologia molecular: DNA – RNA – PROTEÍNA.

No interior das células, o DNA é organizado em longas estruturas chamadas cromossomos. Estes cromossomos são duplicados antes das células se dividirem, em um processo chamado replicação de DNA. No interior dos cromossomos, proteínas da cromatina, como as histonas, compactam e organizam o DNA. Estas estruturas compactas guiam as interações entre DNA e outras proteínas, auxiliando o controle de quais partes de DNA são transcritos. Organismos eucarióticos armazenam a maioria de seu DNA dentro do núcleo celular e parte em organelas, tais como mitocôndria ou cloroplastos. Enquanto que procariotos armazenam seu DNA no citoplasma.

Bibliografia:

  • DE ROBERTIS JUNIOR, E.D.P. Componentes Químicos da Célula - Biologia Celular e Molecular. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.A., 2003. p.19-36.

  • JOHNSON, A. et al. Cells and Genomes – dna/proteins. In: ALBERTS, B. Molecular Biology of The Cell. Fourth edition. New York: Garland Science, 2002. p. 3-45.

  • JOHNSON, A. et al. Cell Chemistry and Biosynthesis – proteins dna amino acids. In: ALBERTS, B. Molecular Biology of The Cell. Fourth edition. New York: Garland Science, 2002. p. 47-128.

  • JOHNSON, A. et al. DNA and Chromosomes. In: ALBERTS, B. Molecular Biology of The Cell. Fourth edition. New York: Garland Science, 2002. p. 191-233.

  •  

    Baixe o Vídeo em Alta Resolução

    dna

    Ajude a divulgar, compartilhe: